Este website é destinado para o público portugués. Para que você verifique se o website de seu país está disponpivel, selecione o seu país da lista.
Fechar
Fechar
Fechar
Fechar
Fechar
Fechar

O nosso portfolio diversificado reforça o nosso compromisso com a Saúde das Mulheres

O que é a osteoporose?

A osteoporose é uma condição crónica que causa a perda de massa óssea, resultando em ossos frágeis e risco maior de fraturas. Algumas pessoas não percebem que têm osteoporose até que um movimento normal, como ficar em pé ou andar, lhes causa uma fratura óssea. A osteoporose é uma doença crónica que pode ser controlada, mas não curada.

Corre um risco maior de desenvolver osteoporose depois de passar pela menopausa, e o risco de sofrer uma fratura óssea associada aumenta com a idade.

O estrogénio desempenha um papel importante no processo de manutenção da densidade óssea. À medida que a produção de estrogénio diminui nos anos pós-menopausa, os ossos podem tornar-se mais frágeis.

Se teve menopausa precoce (antes dos 45 anos), ou sofreu remoção dos ovários, tem maior risco de desenvolver osteoporose.

As fraturas ósseas podem ter um impacto significativo na saúde que se torna mais preocupante com a idade, portanto, o diagnóstico precoce e o tratamento da osteoporose são vitais.

O que acontece nos ossos com a osteoporose?

Se visse um osso saudável através de um microscópio, veria muitos orifícios minúsculos e espaços intercalados por toda a sua estrutura, como favos de mel.

Na osteoporose, esses orifícios e espaços tornam-se maiores, reduzindo a densidade geral do osso. A camada externa do osso também se torna mais fina.

A densidade óssea começa a diminuir por volta dos 30 anos, mas a queda dos níveis de estrogénio depois da menopausa acelera o processo.

Porque é importante ficar atenta à osteoporose?

Qualquer fratura óssea é traumática, mas sofrer uma fratura numa idade mais avançada pode afetar significativamente a sua saúde. Fraturas nas ancas ou noutros ossos que suportam o seu peso, como a pélvis ou a coluna, são particularmente preocupantes.

Uma fratura num dos ossos principais aumenta o risco de se tornar dependente de outras pessoas para as suas necessidades diárias básicas. Nalguns casos, uma fratura óssea resulta na perda de mobilidade, levando a complicações adicionais associadas a um maior risco de morte.

Depois de uma fratura óssea, tem risco aumentado de fraturar outro osso nos próximos 12 meses.

A boa notícia é que existem formas de melhorar a saúde geral dos ossos e minimizar os riscos de fratura com o envelhecimento. Os fatores do estilo de vida desempenham um papel importante na gestão de risco, e há muitos medicamentos eficazes disponíveis para ajudar a prevenir fraturas ósseas causadas pela osteoporose. O seu médico ajudá-la-á a decidir quais os tratamentos adequados.

Como é diagnosticada a osteoporose?

O seu médico pode avaliar o risco de fratura óssea usando uma ferramenta de triagem que estima o risco de uma mulher na menopausa fraturar um osso nos próximos dez anos.

Como parte desta avaliação, o seu médico analisará:

O seu historial clínico

A sua idade, se já passou pela menopausa e qualquer histórico de fraturas ósseas poderá ajudar a construir uma imagem quanto à sua probabilidade de ter osteoporose.

Exames de sangue

Os exames de sangue, por si só, não são suficientes para diagnosticar a osteoporose, mas podem ajudar a dar ao seu médico uma ideia do seu estado geral de saúde. O seu médico também pode fazer exames para outras doenças que podem afetar a saúde óssea, como problemas de tiroide ou alguns tipos de cancro.

Densitometria óssea

Os níveis de densidade mineral óssea são avaliados por uma radiografia que usa uma técnica especializada conhecida como DXA ou DEXA. Esta radiografia da densidade óssea é indolor e dura cerca de 10-20 minutos. O relatório da sua DXA informa o seu médico quanto à sua saúde óssea geral e ao grau de perda óssea detetado.

Também pode ser diagnosticada com osteoporose depois de sofrer uma fratura óssea devido a um pequeno ferimento ou movimento. No entanto, o seu médico ainda pode pedir uma densitometria óssea para avaliar a gravidade da perda óssea e ajudar a orientar o tratamento.

Às vezes, mesmo depois de sofrer uma fratura, a sua densitometria óssea pode mostrar uma densidade óssea normal. Nesse caso, a fratura pode ter sido causada por uma deterioração da resistência óssea geral; um efeito secundário comum do envelhecimento.

Osteopenia

A osteopenia é uma doença em que a massa óssea é menor do que deveria ser, mas não baixa o suficiente para diagnosticar a osteoporose. Se tem osteopenia, tem maior risco de partir um osso do que a maioria das pessoas.

Pode ser um sinal de alerta de que corre o risco de desenvolver osteoporose se não tomar medidas para aumentar a resistência óssea.

Há algumas evidências de que parar de fumar, reduzir a ingestão de cafeína e praticar muitos exercícios pode diminuir o risco de desenvolver osteoporose.

Consulte o seu médico para obter conselhos.

A osteoporose em resumo

Afeta cerca de 200 milhões de mulheres em todo o mundo

A menopausa aumenta o risco de desenvolver osteoporose

Os ossos perdem densidade

O risco de fratura óssea aumenta

Os ossos mais comumente fraturados são o pulso, a anca e a coluna vertebral

Em todo o mundo, 1 em cada 3 mulheres acima dos 50 anos sofrerá fraturas por osteoporose, assim como 1 em cada 5 homens com mais de 50 anos